03 outubro 2010

VANESSA LONGONI

Com esta postagem, inicio minha colaboração com o blog Emepebistas, idealizado pelo Alberto Júnior, o qual gentilmente me convidou para estabelecer uma parceira com ele neste espaço e comentar principalmente a cena da música popular brasileira aqui do Rio Grande do Sul (que costumo fazer no Música Esparsa).

Para inaugurar meus comentários por aqui, decidi escrever um pouco sobre uma das principais intérpretes gaúchas da atualidade: Vanessa Longoni.



No ano de 2008, Vanessa lançou seu premiado disco de estréia, A Mulher de Oslo, e atualmente integra o quarteto Realidade Paralela (ao lado de Marcelo Corsetti, Angelo Primon e Luke Faro), que tem surpreendido com uma sonoridade diferenciada e criativa.

O álbum A Mulher de Oslo, cujo título é retirado de O Livro dos Abraços, do uruguaio Eduardo Galeano, refere-se a uma "contadora de histórias", na qual Vanessa se inspira para cantar/contar um universo muito particular de histórias/canções que vão de Elomar até Goran Bregovic, passando pelo gaúcho (integrante do duo Tangos e Tragédias) Nico Nicolaiewsky e pelos belos poemas do paranaense Marcelo Sandmann . Produzido pelo excelente Arthur de Faria (que também toca acordeón e piano nas músicas), o disco de estréia de Vanessa passeia também por sonoridades diversas e riquíssimas, como tango dos balcãs, fado, samba e outras criativas expressões de arranjos surpreendentes. Também não poderia ser diferente, pois o time de instrumentistas é de altíssima qualidade com Angelo Primon (violão e viola), Clóvis Boca Freire (baixo), Diego Silveira (percussão), o já mencionado Arthur de Faria e ótimas participações especiais do argentino Martin Sued (bandoneon em Ausencia) e do uruguaio Hugo Fattoruso (piano em Procissão).

No vídeo abaixo, vocês podem conferir um clipe com algumas das canções do show A Mulher de Oslo, que demonstra a versatilidade, a força e a beleza das interpretações de Vanessa, desde músicas com arranjos super elaborados, como na primeira Espinho na Roseira (André Abujamra) até aquelas na qual a voz da cantora é mais destacada do que o arranjo, como em Canção das Mulheres do Harém de Lampião (Nico Nicolaiewsky).





Além desta carreira solo inciada com A Mulher de Oslo, Vanessa participa atualmente do grupo Realidade Paralela, que lançou álbum homônimo ano passado mostrando toda a criatividade da combinação da voz de Vanessa com os sons eletrônicos da guitarra de Marcelo Corsetti, os sons acústicos do violão e da viola de Angelo Primon e a bateria fenomenal de Luke Faro.

No disco do grupo, releituras fabulosas de Arrastão (Edu Lobo e Vinicius de Moraes), Atirador (Lula Queiroga) e até mesmo All because of you (U2), entre outras preciosidades, como Luz da Nobreza (Pedro Luís e Zé Renato) que vocês podem conferir no vídeoclipe abaixo.



Assim, para quem pretende ampliar seus horizontes no quesito "intérpretes femininas da música popular brasileira", é incontornável conhecer Vanessa Longoni, artista cuja atuação pode mostrar ao leitor que diversos rótulos relacionados àquele segmento são muitas vezes dispensáveis. Para isso, acessem o MySpace da cantora e não percam tempo!

Saudações musicais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A canção segue a torcer por nós. Milton Nascimento